quarta-feira, 13 de março de 2013

Casamento - Ser feliz brincando!


Eu não sei porque algumas pessoas acham que ao casarmos deveríamos ser sérios. Que eu devo chegar do serviço e só pensar em louça, casa e janta , que ele terá que parar de jogar vídeo game e assistir jornal, que a gente não pode mais brincar de cocegas, pega-pega, e quem irrita o outro primeiro. Agora só porque eu sou casada não posso brincar com comida, falar besteira, ser imatura, chorar, andar descalça, tomar chuva, rir alto, contar piada, lamber a tampa do yorgute, pular corda. Porque a gente não pode simplesmente fazer pipoca e comer na cama? Porque a gente não pode acordar meio dia em um domingo? Ou virar a noite de sábado assistindo filmes com amigos em casa? Porque eu tenho que parar de ser amiga de fulana só porque ela é solteira? E porque ele não pode mais jogar futebol na rua? Pra que cozinhar feijão se a gente ta com vontade de ir na barraquinha comer churros? Agora eu tenho que usar saia e ele terno. Tenho que só pensar na compra de mercado e ele nas contas mensais. E talvez eu tenha que ficar calada ao lado dele ao invés de me divertir também com as piadas. Porque? 

Quer saber de uma coisa? Não casei para ter esse tipo de casamento. Eu casei para sermos felizes!!! Não somos dois adultos que tem uma casa pra cuidar, somos dois eternos namorados que vivem a vida da melhor maneira possível! Não nos casamos quando velhos, nos casamos jovens e eu não quero envelhecer. E eu não estou falando de idade e sim de pensamentos, opiniões e personalidades. Eu vou rir de madrugada SIM, vou me esconder e dar sustos nele SIM, vou deixar de fazer faxina pra ter um maravilhoso café da manhã na cama SIM, e quando a gente sair pra dar uma voltinha no quarteirão vou dar um empurrão nele e sair correndo só pra ele correr atrás de mim. Vou pular no colo dele e dar aquele beijo de cinema, e quando formos escovar os dentes vou passar pasta no rosto dele. 

Quero ser feliz e arrancar sorrisos de alegrias do rosto dele. Quero tirar foto das nossas palhaçadas, quero relembrar os momentos não com saudade mas sim com vontade de fazer de novo. Porque eu prefiro da minha casa um circo do que um museu. Não quero viver coisas velhas e rústicas, quero coisas novas a cada dia, quero ver o rosto dele esperando a surpresa do dia, quero o inesperado todos os meses e anos, quero crescer junto com ele. E com certeza meus dias serão muito mais felizes fazendo ele feliz. 


A vida tem lá suas coisas chatas e as pessoas ainda querem que nós sejamos chatos. Eu prefiro ser idiota, rir dos nossos defeitos e não ligar para as caras feias que costumam nos observar, afinal quem carrega a cara feia são eles.

Eu quero viver, e viver é diferente de apenas existir. Viver feliz, feliz sem motivos. Não preciso de dinheiro e riquezas  não preciso de vícios e posses, preciso apenas do sorriso dele pra me fazer feliz. Ele é o meu melhor amigo. 

Milhares de casamentos acabaram-se não pela falta de carinho, atenção, amor, dinheiro e sexo. Apenas porque eles desaprenderam a brincar.